Google+ GRITOS VERTICAIS: Bicho-do-Mato

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Bicho-do-Mato


(Wolf's Reprisal - Jocarra)
.
.
.
BICHO-DO-MATO
(André L. Soares)
.
Desde cedo deixei
o medo de lado
e me lancei no encalço
dessa lida traiçoeira;
arrebentando elos, cordas,
cabeças, cabaços,
portas, taramelas, cancelas,
porteiras.
.
Só desejo o espaço livre
no vasto da estrada,
com a liberdade própria
dos bichos-do-mato;
dispensando tudo
que me seja um fardo,
salto de peito aberto
pelas cachoeiras.
.
Não divido meus caminhos
entre o bem e o mal;
tampouco temo a hora
da flecha certeira.
.
Sou avesso a qualquer coisa
que imponha limites;
desconheço as leis,
os reis, as fronteiras;
vim ao mundo pelo belo
que a vida oferta:
– o mar, o pôr-do-sol, a areia,
os rabos-de-saia,...
a loucura sensual
do amor à lua-cheia!
.
Não divido meus caminhos
entre o bem e o mal;
tampouco temo a hora
da bala certeira.
.
.
.
.
Leia também:
Gritos Verticais /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

28 comentários:

  1. Vim ao mundo pelo belo que a vida oferta, tirando o rabos-de-saia,rsrsrs os demais versos falam comigo.Abraços Poeta, e obrigado por nos presentear mais uma vez com teus lindos versos.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito das prosas, e as rabiscos de quando em vez. Não tenho muita veia para poesia, mas sei gostar de algumas que me chamam a atenção. e, esta é uma delas. Parabéns por nos brindar com esta belíssimas linhas.

    Já tem conto novo no blog.
    Entre e comente.

    Paz Profunda miguel heichard
    www.m-heichard.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Só desejo o espaço livre....

    era tudo que eu queria!

    ResponderExcluir
  4. Achei maravilhosa a poesia

    ResponderExcluir
  5. Bicho do mato,sem medo,corajoso é livre.Interessante,valeu ,Amei ótima semana amado!

    ResponderExcluir
  6. Me identifiquei com "bicho-do-mato" em "Sou avesso a qualquer coisa que imponha limites";
    Belíssimo poema
    abç

    ResponderExcluir
  7. Original e de carne e osso.

    A primeira estrofe é genial... adorei as palavras usadas.


    abraço!

    ResponderExcluir
  8. gostei muito de tudo aqui...tudo relacionado a-mar,adoro!

    ResponderExcluir
  9. Nossa André, que lindas as tuas poesias. Eu gostava muito de escrever poesias, mas fui perdendo o hábito. Hoje, meus poemas são através da minha fotografia. Obrigada por visitar meu blog. Abs.

    ResponderExcluir
  10. Bem tocante e profundo...você tem o verdadeiro dom para poesias.

    Abraços

    ResponderExcluir
  11. olá, que delicia sua poesia...me sensibiliza...obrigada também por me "seguir", buscarei levá-lo por "caminhos" tão sensíveis quanto...beijos cariocas
    Cida Torneros

    ResponderExcluir
  12. Obrigada por acompanhar meu blog, é uma honra!
    Mto bons seus versos!!

    Sucesso!

    ResponderExcluir
  13. olá,amigo bom dia li sua poesia bicho-do-mato e amei por isso eu coloque em blogs que estou acompanhado ok.

    Beijos fica com Deus.

    ResponderExcluir
  14. Amei suas poesias amigo vim aqui retribuir seus comentários em meu blog as aventuras da poesias amei e retribuo não sei fazer comentários como os seus mais estou aqui para te agradecer fica com Deus e Bom Dia.

    ResponderExcluir
  15. É preciso ser bicho-do-mato para compreender que o que vale a pena nesta vida reside nas coisas mais simples. Ser bicho-do-mato é conviver com a poesia em seu estado mais puro. Ousar... Ter a capacidade de multiplicar-se, - ser e não ser para ter a chance de viver e dividir essa experiência única.

    Ser bicho-do-mato é não abdicar da própria natureza. Poetas, porque poetas, passam ao largo de posturas maniqueístas. Um bicho-do-mato reage espontaneamente; ignora tais facilidades. De certo modo, todos os bons poetas são bichos-do-mato. Usam o faro, o instinto... para criar, criar-se e recriar-se... duplicar-se, multiplicar-se... De algum modo, permitir o despertar do que estava adormecido.

    À parte os excessos da urbanidade, das comodidades que no terceiro milênio nos assolam, gostaria de acreditar que há um bicho-do-mato latente (um poeta!) em cada ser humano sobre a face da terra.

    Li lá no reader e não resisti... Belíssimo, André! Perfeição!

    Bjs, meu amigo, e inté!

    ResponderExcluir
  16. Nossa adoro poemas, e com certeza me identifiquei muito aqui, quanto ao meu rs, estou escrevendo agora por uma questão de alivio, e quanto a hipocrisia da lei, também concordo, mas preferi usar a oportunidade para tirar algo que não me faz bem, e mesmo assim está bem difícil.Obrigada por estar seguindo meu blog, e me dar a oportunidade de ler belas poesias. bjs

    ResponderExcluir
  17. Belo poema, muito bem escrito, que une a destreza sutil do poeta à força selvagem de um "bicho-do-mato". Não há que se esperar menos de um lobo que é poeta, ou de um poeta lobo, risos. Muito bom! Parabéns!

    Ariadna Garibaldi

    ResponderExcluir
  18. FELICIDADE!

    Quando o vento bater à sua porta,
    Abra devagar,
    Para deixa-lo entrar
    Pense quanto de bom poderá receber,
    Se estiver pronto para tal,
    Mas as conquistas diárias
    Estamos sempre apostando tudo
    e a cada recomeço,
    Percebemos, o quanto é gratificante,
    Estar pôr perto de quem se gosta de verdade,
    Sua simpatia,
    Corresponde o momento de felicidade
    e transborda de alegria
    o coração de quem recebe.

    (Roseli Alcântara)

    Desejo toda a felicidade neste final de semana,
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  19. O bom de tudo, é mesmo não temer a hora da flecha.. Porque ela chega. Mas esperá-la chegar, é que nos arrebata a alma e impede que ser livre como a alma deseja.

    beijoS>
    =]

    ResponderExcluir
  20. ...Que sejas então "bicho-do-mato"
    :) dias cheios de brisas frescas*

    ResponderExcluir
  21. muito forte e vincada!!
    adorei.


    abraços amigo

    ResponderExcluir
  22. Belíssimo tratado anti-maniqueísta!!

    ;)

    ResponderExcluir
  23. Que maravilha,...voltarei
    www.rachelrochaomena.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Nossa que sentido de força e poder! uau! Eu me senti meio que revigorada.

    ResponderExcluir
  25. Os que têm sede de poesia e fazem da palavra a fome serão sempre benvindos...
    Magnifica descrição de perfil!
    E grande ode ao que se é, neste texto.

    Grata, e retrubuo os Parabéns.

    Katyuscia.

    ResponderExcluir
  26. gostei muito da poesia. voce tem muito talento.

    ResponderExcluir
  27. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela leitura, comentários e generosa apreciação.

    Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam todos sempre muito bem vindos

    Grande abraço!

    ResponderExcluir