Google+ GRITOS VERTICAIS: Complementares

quarta-feira, 25 de março de 2009

Complementares


(Complementares - André L. Soares)
.
.
.

COMPLEMENTARES
(André L. Soares)
.
Muito de mim é o seu inverso,
outra parte é tudo que você detesta;
tenho um pouco, que lhe parece
e um restante que desconhece.
.
Você odeia minha melhor metade,
mas venera justo onde não presto;
quando nego... me vem inteira
e quando imploro, chega-me aos restos.
.
Quando sou sol, você se faz frestas
e se sou aresta, logo me esquece;
sendo eu angelical, você me profana,
mas se sou sacana, você entoa preces.
.
Onde eu silencio, você é grito e gesto;
se sou ‘habeas corpus’, você quer arresto;
quando acordo alegre, sua alma fenece,
mas se esmoreço, logo dá festas.
.
Por agora o difícil é a vida avessa,
na distância que, hoje, a gente atravessa,
em que você é sábado e domingo,
enquanto ainda sou segunda e terça.
.
Porém, cedo ou tarde (não precisa pressa),
tiraremos a limpo, toda essa conversa;
somos corpos bons, em sanas cabeças,...
amar as diferenças ainda nos interessa.
.
.
.
.
Leia também:
Gritos Verticais / O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos

38 comentários:

  1. a diferença é complemento. a conquista da uma nova identidade através de novas experiencias vividas dia após dia e sentindo juntos os reflexos disso em nossa vida...realmente:
    complementares.

    ResponderExcluir
  2. É bonito o teu poema. Há coisas que vamos descobrindo no outro, lentamente... outras, nunca saberemos ver; outras ainda, não queremos ver.

    Abraços
    Luísa

    ResponderExcluir
  3. Os momentos opostos se atraem...

    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  4. Homem e mulher.
    Seres tão diversos,
    unidades distintas.
    Nas diferenças a cumplicidade
    na unidade o desafio.
    Que o amor permaneça
    que a amizade faça festas
    que o respeito seja constante
    que a diversidade
    seja aproximação
    pois o dia e a noite
    se completam sempre.
    Abraço
    Angel

    ResponderExcluir
  5. Fantástico, André!
    As diferenças se completam ...

    Beijinhosssssssss

    ResponderExcluir
  6. Bonito este poema
    de diferenças que
    acabam por se
    complementar.

    Um abraço

    Alvaro Oliveira

    ResponderExcluir
  7. Estava sonolento e triste quando comecei a ler seu poema, mas terminei sorrindo um sorriso satisfeito.

    Você é muito bom meu caro, dos melhores que já encontrei nessa "blogosfera".

    O poema fala por si e suas imagens são belas de serem sentidas, e suas metáforas belas de serem observadas e imaginadas.

    Parabéns, volto sempre;


    Abraços,
    Fabrício

    ResponderExcluir
  8. Todos somos iguais porque todos somos diferentes.

    Já andei por aqui a ler esse poema. E acredito que nem precise dizer-lhe como estou me sentindo em relação a ele.

    Total identificação com mais essa obra primorosa. Lindo, André!

    ResponderExcluir
  9. Fazer-se completo.
    Somos obras inacabadas, mas não somos defeituosos.
    A busca certa é o complemento não a perfeiçao.

    "somos corpos bons, em sanas cabeças,... amar as diferenças ainda nos interessa. . . ."
    André L. Soares

    Belo poema.
    Bom fim de semana.

    É por sinal, o email que te passei faria de mim um cara bem mais completo.

    saudaçoes

    O poeta morto

    ResponderExcluir
  10. Também sou Lobo do Mar:
    Navego por entre versos.
    Mesmo com vento adverso,
    Meu caro, é bom velejar.
    .............

    ResponderExcluir
  11. As vezes nossas virtudes são levadas ao vento, e o que resta é aproveitado.

    Lindo poema.

    Mashnew - Social Networking & Technology

    ResponderExcluir
  12. A POESIA FAZ PARTE DE NÓS QUE TEMOS VIDA INTERIOR E COMO DIZIA ARTHUR DA TAVOLA QUEM TEM VIDA INTERIOR JA MAIS PADECERA DE SOLIDÃO.

    ResponderExcluir
  13. Ah, as diferenças! São elas que nos aproximam e nos fazem apaixonar...
    Ah, as diferenças! São elas que nos individualizam e nos põe a amar...

    Bjs
    Perséfone
    PS: Tem seo no meu blog pra ti.

    ResponderExcluir
  14. Só registrando minha passagem, pois é sempre muito bom ler seus poemas, sempre.

    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Lindíssima reflexão. Muito mais do que um poema, é a realidade estampada de mim e de você, de qualquer pessoa que convive com a diferença.
    J´diz aquele velho ditado: "O que seria do verde, se todos gostassem do amartelo"?

    Adorei a criatividade, poeta!
    Parabéns pela inspiração!

    Beijos!:)
    Lu

    ResponderExcluir
  16. Muito bom.... quase sempre a diferença atrai, as semelhanças que fazem com que a atração inicial perdure.

    ResponderExcluir
  17. Quando ama a diferença dessa forma, ama igual.

    Adorei sua visita.

    =]

    Maravilhosa sexta.

    Rebeca


    -

    ResponderExcluir
  18. Na dança das inversões eis que surgem os encontros.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  19. Lobo, nossa completude vem pela busca do inédito, do novo. Daí a importância das diferenças. Parabéns pelo poema bonito e instigante.

    ResponderExcluir
  20. Muitas vezes as diferenças são apenas...diferenças e nisto também há poesia!

    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  21. Cara, que coisa linda esta sua poesia. Excelente trabalho com as palavras, sem deixar de lado a sensibilidade.
    Para um amador como eu é até uma honra ler as palavras de um verdadeiro poeta que é o seu caso.

    Ahh... Gostaria de propor parceria entre nossos blogs. Caso se interesse, claro.

    Abraços
    .

    http://ladobdiscotrash.blogspot.com
    http://solucomental.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. André, mais uma vez acertou em cheio. O poema até poderia se chamar 'Espetacular', e o nome não lhe seria injusto, nem soberbo. Abraços.

    ResponderExcluir
  23. André, Velho Lobo do Mar...Também estou te seguindo. Aliás, sempre mantenho um olho nas suas poesias.
    Pergunto agora: Posso fazer mais um podcast com elas?

    Um abraço e parabéns pelo teu trabalho digno de nota.

    Um abraço desde Portugal,

    Daniel

    ResponderExcluir
  24. Há quem diga que só nos reconhecemos no outro, e que o outro é justo o que nos falta. Donde só nos reconheceríamos no que nos falta.
    É a antítese do postulado carteziano, ou, nas palavras de Lacan: "penso onde não existo, donde existo onde não sou".
    Lindo blog, que merece a fama que tem na net. Abraços, Domingos.

    ResponderExcluir
  25. André: Tenho três selos para ti no meu cantinho das Aldeias Históricas(www.aldeiashistoricasdeportugal.blogspot.com).
    Quando puderes passar por lá, podes recolher os que bem entenderes.
    Com amizade, Susana

    PS: Uma Páscoa Feliz!

    ResponderExcluir
  26. A cada dia, descobrimos um lado de nós, até então, desconhecido e interligamo-nos ora avesso, ora direito com o nosso próprio eu e com os outros eus que se cruzam connosco. O que aproveitamos entre cada instante é o que nos molda e define.

    Uma doce Páscoa e um beijinho.

    ResponderExcluir
  27. simplismente o seu poema e muito bommmmmmmm.


    http://www.mundosubliminar.xpg.com.br
    http://www.solendasurbanas.xpg.com.br

    ResponderExcluir
  28. André, passei prara matar a saudade dos teus poemas e te desejar uma feliz Páscoa! Beijo

    ResponderExcluir
  29. Lindo! Simplesmente!

    Bj

    ResponderExcluir
  30. Que belíssimo, que sensibilidade...eu fiquei deveras encantada por tão belas palavras em um jogo de sensações absolutamente maravilhosas. Parabéns !

    ResponderExcluir
  31. Surpresa boa, este seu blogue.

    Gosto muito deste estilo limpo, despretensioso, que se dá ao prazer de ler.

    ResponderExcluir
  32. Grande poema, viva as diferenças!

    Um abraço, Edson
    http://www.mundocamisetas.com.br

    ResponderExcluir
  33. André,

    Seus poemas tão apaixonados e apaixonantes.

    Não importa quantos desencontros haverão, se a paixão fala mais alto, o amor bandido é a solução.

    E na esperança ficamos, de um dia, encontrar um meio termo que corrija as diferenças encontrando o equilíbrio.

    Esqueça, meu amigo, nesse dia, o amor acaba.

    Cris

    ResponderExcluir
  34. Que lindo seu poema!!! Adoro seu estilo, sua sinceridade, sua verdade. me identifiquei muito com seu trabalho. também adoro escrever, mas nem chego aos seus pés.

    Você tem toda razao, a diferença é o complemento irresistivel entre duas pessoas.

    Toh na fossa!!!
    :(

    Fefe
    www.lazermusica.com

    ResponderExcluir
  35. Navegando entre uma página e outra, lanço âncora aqui para dizer que gostei muito do que li.
    Grata por me permitir ler coisas tão boas.

    ResponderExcluir
  36. Nao tenho nem palavras pra descrever... cada poema que leio... me sinto entregue.......
    sabias palavras... parabens

    abç

    Joici

    ResponderExcluir
  37. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela leitura, comentários e generosa apreciação.

    Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam todos sempre muito bem vindos

    Grande abraço!

    ResponderExcluir