Google+ GRITOS VERTICAIS: O Menino de Beirute

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O Menino de Beirute


(War Child - Wor)

.

.

.
O MENINO DE BEIRUTE
(André L. Soares)
.
Embora tivesse escolhido a felicidade
a julgar pelos prédios em ruínas,
a felicidade não o escolheu.
Ainda assustado, guardou no bolso
– junto ao retrato dos pais –
três rubras gotas de ódio e saiu.
Queria sorrir para o mundo...
em resposta, as ruas sujas gargalhavam
um sarcasmo seco, de fuzil.
Em dia claro, choviam estilhaços.
Nos seus braços uma ferida sangrava
e ele em total torpor
(historicamente anestesiado,...
coração nasce blindado
onde não há amor?).
.
Entre a poeira cinza dos escombros
a infância resiste e ele se ilude
num jogo de bolas de gude, distante dos bombardeios.
A paz agora é a moribunda sombra,
que se alimenta do prometido cessar-fogo
(rápido rasgo de esperança
que se curva às tradições e aos interesses;...
e haja paixão para manter viva essa loucura).
.
De novo correndo entre os corpos,
sonha o dia em que possa descansar
sem temer – na esquina – um inimigo,
usar roupas limpas aos domingos,
falar de coisas lindas,... ver o luar.
.
Ele não vai hoje à escola,...
(arremedo queimado de salas de aula)
porque seus professores
trocaram os livros pelas armas.
Hoje ele não vai à escola,...
mas traz marcadas em sua pele
todas as mais duras lições.
Ele hoje não vai à escola,...
dez anos nessa vida infeliz
e a promessa de vingança
como sagrada cicatriz.
.
.
.

.

Leia também:
Alma de Poesia /Gritos Verticais /Natureza Poética /O Poema de Cada Dia /Poética Herética /Raiz de Cem /Sons de Sonetos


34 comentários:

  1. legal! eu prefiro acreditar somente numa energia suprema. nao acredito no deus criado a semelhança dos homens. por isso sou ateu. numa energia suprema que nunca teve inicio e nunca tera fim e que esta conectada conosco permanentemente me deixa mais empolgado em me fuder pelos outros.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, André! Bem adequado esse belo poema em mais um ano que, denominado novo, exibe no céu do planeta bem mais que apenas fogos de artifício. Para mim, um ano que começa muito triste. Especialmente por conta das notícias de meninos e meninas bem ali, nem tão longe de Beirute, aniquilados por soldados que, de ambos os lados, pensam lutar pelas mesmas guerras dos seus comandantes.

    Meu texto poético, postado na semana passada, também fala a respeito. Uma reflexão antiga, escrita durante um dos conflitos no Líbano, - diante do confronto entre Israel e Gaza eu a acreditei ainda muito atual.
    Toda guerra no Oriente Médio é interessante e plena em oportunidades para ambos os lados.
    Afirmar que essa, como tantas outras na região, é por religião, pelo poder ou pela conquista de um território, é conversa fiada. O conflito “Hamas x Israel”, só tem como objetivo, por um lado mais poder e vantagens políticas de países ocidentais interessados, e de outro riquezas materiais
    aumentadas por doações pró-defesa.
    Enquanto isso, em N.Y., a ONU delibera... como se o tempo estives
    se parado... à disposição.

    Um beijo, André, e inté!

    ResponderExcluir
  3. Muito lindo, e faz refletir acredito que além da guerra própriamente dita sofremos conflitos internos e talvez seja o que contribuem para gerar o conflito de armas.

    ResponderExcluir
  4. Lindo poema André!
    Passa lá pelo meu blog, tenho um Meme para vc, quem sabe vire poesia neh! rsrsr
    Espero que goste!
    Até +, :)

    ResponderExcluir
  5. Olá, André!
    quanto tempo não venho aqui...
    Eu hoje estava a fim de ler poesias e vim direto ao seu blog, afinal vc é um dos poucos [senão o único!] por aqui q sabe fazer uma poesia de verdade!

    bjs querido,
    e q 2009 seja um ano tão bom quanto pudermos fazer dele!

    ResponderExcluir
  6. E do céu, na cabeça do menino caem invés de estrelas, balas que machucam seu pequeno coração.
    Bela poesia.

    lindos dias,
    beijos

    ResponderExcluir
  7. Belo poema, embora seja tão triste essa realidade...
    Bom fim de semana pra ti,
    bjo carinhoso,
    Branca.

    ResponderExcluir
  8. É meu amigo sempre isto, e pouco se pode fazer a respeito...
    Leia também:
    http://persefone-hades.blogspot.com/2009/01/at-quando.html

    Bjs
    Persefone

    ResponderExcluir
  9. Passe no meu blog, tem um prêmio pra você.
    Beijos
    Angel

    ResponderExcluir
  10. Muito bonito, a algum tempo não visitava seu espaço o conteúdo continua ótimo como sempre..., votei em vcs no BBB, abraços e sucesso...

    ResponderExcluir
  11. Fiquei arrepiada! As palavras recusam-se a sair!...


    Um abraço

    MV

    ResponderExcluir
  12. Hoje tive um impacto diante da morte. Acabo de chegar do Hospital onde minha mãe, Alaíde, está adoentada. Sentei ao computador querendo fazer poesia e acabei querendo ler poesia e pensei: Vou direto no Deco. E cá estou; novamente impactada diante da infalível verdade suprema e radical, aliás, a única que nos iguala: a morte. E sabe o que descobri? A morte é uma linda dama de vermelho, como o sangue e não é feia não, é belíssima; matreira e cruelmente sedutora; quando você cai nas redes dela, já era! Muito boa essa sua reflexão sobre o Oriente Médio. Parabéns, poeta!

    ResponderExcluir
  13. aceita parceria,se sim visiti meu blog,se nao visite sim mesmo...
    http://tudehistoria.blogspot.com/
    abraços...

    ResponderExcluir
  14. Muito bonito.
    Pena que muitas crianças deste planeta já venham carregados de sofrimento, e que tenham de crescer tão depressa.
    Boa semana :)

    ResponderExcluir
  15. Como eu sempre disse, a poesia é algo tão forte e belo que mesmo em meio as ruinas e da desgraça ela brota e cresce aliviando a dor.

    Parabéns André, abraço

    ResponderExcluir
  16. Andre...
    Parabéns, são perfeitos seus poemas.

    ResponderExcluir
  17. Olá André!
    Lindas palavras para uma triste realidade.
    É comovente!
    Me fez lembrar do livro "A menina que roubava livros".
    Estou voltando de férias.
    Abraços e ótima semana!

    ResponderExcluir
  18. Já conhecia esse seu poema, do Orkut.
    Acho que na comunidade Nav. das Estrelas...

    Admiro seu trabalho há tempos... você é uma raridade nos dias de hoje.

    Abraço soteropolitano!

    ResponderExcluir
  19. Lindo...
    Ainda bem que mesmo crescendo em um ambiente de horror, ao invés de virarem homens violentos, muitas crianças crescem e decidem por lutar pela paz que não tiveram...
    Esperamos que estes homens de bom coração cresçam em maior quantidade...

    Vim retribuir sua discreta visitinha. Mesmo sem ter deixado comentários, vim seguindo "suas migalhinhas de pão"

    Sucesso.

    ResponderExcluir
  20. Olá, querido! Retribuindo a visita... E adorei o que encontrei. Aliás, são 4 blogs não é isso?!?
    Voltarei sempre!
    Bjs

    ResponderExcluir
  21. Oi André!
    Gostaria que aceitasses o prêmio que te dou em meu blog.
    Bjs
    Perséfone

    ResponderExcluir
  22. Anônimo02:05:00

    Querido André,

    Devo de pronto, parabenizá-lo pela beleza inerente em suas letras, em seus escritos sábios, densos, ricos...
    Ademais, externar minha admiração por sua devoção pela palavra e, nisso, destacar seu invejável talento.

    Querido, quanto ao meu Blog, deu tudo errado, fiz como você sugeriu mas infelizmente meu Blog ficou pobrezinho e o problema continuou.
    Perdoe-me importuná-lo aqui, no seu espaço, mas não tive como contactar com você de outra forma.

    Um abração!

    ResponderExcluir
  23. simplesmente maravilhoso...aproveito para lhe desejar um óptimo ano cheio de alegria e muita luz Abroço AnaP.

    ResponderExcluir
  24. Cheguei ao teu blog por acaso, estava pesquisando sobre câncer.Gostei dos poemas... e tomei a liberdade de ser tua seguidora.
    Uma boa semana.
    abraços

    ResponderExcluir
  25. Esta é uma dura realidade meu amigo.
    Crianças deveriam apenas brincar e não fugirem de bombas e do terror das guerras.
    Muito atual e triste o teu texto...parabéns!
    Sou seguidora do teu espaço ok? Bjs.

    ResponderExcluir
  26. Querido André,

    Devo de pronto, parabenizá-lo pela beleza inerente em suas letras, em seus escritos sábios, densos, ricos...
    Ademais, externar minha admiração por sua devoção pela palavra e, nisso, destacar seu invejável talento.

    Querido, quanto ao meu Blog, deu tudo errado, fiz como você sugeriu mas infelizmente meu Blog ficou pobrezinho e o problema, de certa forma, continuou.
    Perdoe-me importuná-lo aqui, no seu espaço, mas não tive como contactar com você de outra forma.

    Queria um Template mais atrativo, algo que me proporcionasse um espaço atrente, mesmo que tivesse anúncios, sei lá, (tenho leitores, viu?) ehehehehe
    Mas algo que fosse mais minha cara e onde eu me sentisse mais e melhor representado naquilo que me proponho a dizer.

    Um abração!

    ResponderExcluir
  27. Muito interessante o seu espaço. Voltarei porque gosto. Obrigado por me visitar

    ResponderExcluir
  28. Aqui em são paulo vou praticamente todo semana vou a "25" fico observando existe tanto judeu quanto arabes a unica briga que existe é a disputa pelos clientes. porque vejo arabes e judeus conversando entre se falando desta guerra besta no oriente que estão se matando de bobeira. deveria existir domingos de paz, meninos de ambos os lados bricando e jogando bola de gude.

    ResponderExcluir
  29. olá, andré
    obrigada pelo comentário em meu blog e aproveito para pedir autorização para postar esse texto lindíssimo na blogosfera
    te aguardo, querido
    um abraço

    fátima queiroz

    ResponderExcluir
  30. Muito bom... mas talvez aqui no Rio mesmo crianças passam por isso... Mas neste caso do Oriente, em Beirute ou Gaza, um tema repetido e atual.

    ResponderExcluir
  31. parabens pele sua obra ele e muito bom.



    http://www.mundosubliminar.xpg.com.br
    http://www.solendasurbanas.xpg.com.br

    ResponderExcluir
  32. Voto confirmado
    *
    SUCESSO, Poeta!

    ResponderExcluir
  33. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela leitura, comentários e generosa apreciação.

    Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam todos sempre muito bem vindos

    Grande abraço!

    ResponderExcluir