Google+ GRITOS VERTICAIS: Por Darfur

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Por Darfur

(Unity Monica Stewart)
.
.
.
POR DARFUR
(André L. Soares)
.
Diz que tua maldade
é só loucura,...
fruto de uma dor insuportável
que nem mesmo o
tempo curou.
.
Deixa que eu sinta
alguma culpa.
Divida comigo esses crimes,...
tu que irás beber
todo esse sangue,
derramado em nome
da ambição.
.
Mente!
Tenta iludir o orto das lágrimas!
Pois não quero crer
que seja, o homem,
o mais carniceiro
dos Leviatãs.
.
.

. .
.
.

.

BLOGAGEM COLETIVA:
"
DIREITOS HUMANOS: UM MUNDO, UMA VIDA"
.
.

.
.
Desde seu primeiro aparecimento no pensamento político dos séculos XVII e XVIII, a doutrina dos direitos humanos evoluiu muito, ainda que entre contradições, refutações, limitações.
.
Além de processos de conversão em direito positivo, de generalização e de internacionalização, manifestou-se, nos últimos anos, nova linha de tendência, que se pode chamar de especificação; consiste na passagem gradual, porém cada vez mais acentuada, para uma determinação dos sujeitos titulares de direitos. Essa especificação ocorreu com relação seja ao gênero, seja às várias fases da vida, seja à diferença entre estado normal e estados excepcionais na existência humana.
.
Porém, descendo do plano ideal ao plano real, uma coisa é falar dos direitos do homem, direitos sempre novos e extensos, e justificá-los com argumentos convincentes; outra coisa é garantir-lhes proteção efetiva. Sobre isso, é oportuna a seguinte consideração: à medida que as pretensões aumentam, a satisfação delas torna-se cada vez mais difícil. Os direitos sociais, como se sabe, são mais difíceis de proteger do que os direitos de liberdade. Mas sabemos todos, igualmente, que a proteção internacional é mais difícil do que a proteção no interior de um Estado, particularmente no interior de um Estado de direito.
.
Contudo, ainda hoje há lugares, principalmente na África, em que os direitos humanos são tão brutalmente agredidos, que é impressionante ver como parcela significativa do chamado ‘mundo livre’ se mostra alheio a tal situação. Talvez esse seja o grande crime internacional das nações ocidentais que, apesar da avançada industrialização e do elevado grau interno de evolução dos direitos, calam-se frente as barbáries praticadas no continente Africano.
.
Então, hoje, no dia da ‘Blogagem Coletiva Direitos Humanos: Um Mundo, Uma Vida’, proposta pelo Sam, do blog 'Fênix Ad Eternum', cabe a nós refletir sobre as violações que tais direitos sofrem em todo o planeta – enfatizando-se o caso africano – e pensar sobre o que queremos: se a continuidade da atual postura apática; ou se o desencadeamento de uma ação conjunta, no sentido de ofertar auxílio material imediato àqueles povos e campanhas internacionais, visando obrigar os governantes a buscarem ações políticas que resultem no fim desse absurdo.
.
O poema 'Por Darfur', que inicia esta postagem, refere-se a uma parte do Sudão, na África, onde os direitos humanos simplesmente foram ignorados em sua totalidade.
.
.
.

20 comentários:

  1. Ah, André, o que a gente mais vê são exemplos de despeito aos direitos humanos...infelizmente. Mas sabe, acho que não devemos tratar do assunto como um simples tema, ou uma carta cheia de artigos e sim trazer o debate par ao nosso dia-a-dia e principalmente exercer estes direitos. E é por isso que é tão bacana participar d eum movimento como este, parabéns pela participação!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, meu querido!
    É bom demais saber que podemos contar com seu talento abençoado tanto pela beleza dos versos quanto pelo papel importante que a poesia representa como é o caso dessa postagem de hoje. Adorei viu!
    Esse poema é mais uma preciosidade para a nossa literatura.
    Que suas palavras ganhem força a cada leitura, inspirando muitos outros poemas por esse universo virtual.
    Beijussssssssss

    ResponderExcluir
  3. Os direitos humanos são os mais importantes na escala jurídicas, porém, são sempre os primeiros a serem violados.

    A índole guerreira do ser humano ainda não controla seus ímpetos, é uma pena!

    ResponderExcluir
  4. Chuvinha18:29:00

    É preciso sensibilizar a sociedade egoísta para que todos possam ver...abordagem diferente, parabéns!

    http://blairponjinha.blog.uol.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Andrè:
    O poema casou direitinho com a blogagem. E Darfur é um dos exemplos mais marcantes da total falta de respeito aos direitos humanos.

    ResponderExcluir
  6. É, meu amigo, o que não nos faltam são exemplos de falta de respeito aos direitos humanos.
    Espero que chegue o dia em que não seja preciso refletirmos sobre isso.
    Grande abraço e parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Larissa Tietjen22:33:00

    Seu blog é de extremo bom gosto. Parabéns pela participação na blogagem coltiva! www.releitura.wordpress.com

    ResponderExcluir
  8. darfur poesia temus isso tudo e mt mais em doses bem menos aerodinamicas



    www.motoratasdemarte.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. há tantos lugares onde os direitos são ignorados, não?

    por todos eles.

    beijos

    www.oncoto.erikamurari.com.br

    ResponderExcluir
  10. Os Direitos Humanos são um tema que existe no panorama mundial desde que o Imperador Ciro resolveu decretá-lo, longos séculos antes de qualquer "ocidental" sequer pensar no tema, não obstante, foi desde o século XVII que os Reinos europeus começaram a ponderar essa hipótese.

    Mas, ainda ponderamos, pouco ou nada cumprimos. Os exemplos do Darfur e da Somália são tristes exemplos do panorama global que nós, enquanto cidadãos do mundo não podemos relegar para segundo plano.

    Obrigado pela sua intervenção poética, séria, pragmática e, sobretudo, preocupada!

    ResponderExcluir
  11. Penso que algum dia todos nós atentamos contra os direitos humanos... mesmo não sendo conscientes. O simples fato de proferir uma frase preconceituosa, já é em si um atentado a estes direitos. Considero também um atentado, omitir as tragédias do mundo... "quem cala consente". É curioso ver "quanta gente" no mundo,está contra a violação dos direitos humanos, mas pouca coisa muda... Por que será? Movimentos contra isso ou aquilo não faltam. Mas sempre faltará o compromisso com uma causa "na prática da capa e da espada".
    Andre: Vejo que a tua sensibilidade não omite tais fatos involutivos. Obrigada por ser mais um na luta e na divulgação de fatos a combater neste mundo aonde o caolho é Rei mas quem encherga com os três olhos, é mártir. Um abraço.

    ResponderExcluir
  12. bakudas.com02:43:00

    Olá, obrigado pela visita e pelos elogios amigo, dei uma lida em alguns dos seus post/poemas e gostei muito tambem.
    Sinta-se a vontade de voltar sempre.
    Abraços,
    Bakudan.

    ResponderExcluir
  13. Obrigado amigo,
    Por belas palavras,
    Em um resumido sentido,
    Sendo mais um fingidor,
    Da passarela dos verbos,
    Mesmo longe de conjugados,
    Tão fácil de serem entendidos...

    Achei essa a maneira de agradecer o tão simpático post que recebi...Ah. e o “fingidor” por também ver que és um poeta...

    ResponderExcluir
  14. Anônimo20:52:00

    Obrigada pela visita. Volte sempre.
    abs,
    Francy&Carlos

    ResponderExcluir
  15. Agradecemos seu pedido de parceria desculpe-nos a demora em responder.
    Seu link foi adicionado
    Abraco
    Equipe Mina de Blogs

    Aproveite e Cadastre-se http://topsites.minadeblogs.com/

    ResponderExcluir
  16. Odete Ferreira17:09:00

    Sabe que os problemas sociais me são mto caros, lido bastante c eles, acho q 1 dia já tinha dito...
    Mas massacres, é coisa c a qual parece já n sabermos lidar!!!
    Tenho profunda admiração pelas ONG ´s e pelo português António Gueterres, nestas e nas questões dos refugiados...
    Bjo, poeta e humanista

    ResponderExcluir
  17. ...
    minha maldade é só loucura...

    *
    Tenha um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  18. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela leitura, comentários e generosa apreciação.

    Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam todos sempre muito bem vindos

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Emocionante. Dizer o que mais?
    Beijos pra ti, poeta. E que Deus continua abençoando seu talento.

    ResponderExcluir
  20. Muito intenso. Como sempre, sua poesia tem muito de crítica política.

    ResponderExcluir