Google+ GRITOS VERTICAIS: Retirâncias

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Retirâncias


(De Vous a Moi I Isabelle Vital)
.
.
.
‘RETIRÂNCIAS’
(André L. Soares)
.
Correu até a porta,
parou em pé, no alpendre...
– por dentro, quase morta –,
fez do sorriso amarelado
a máscara de forte;
de profundo silêncio compôs
uma ode à saudade;
mas não pôde deter
a lágrima involuntária
que o chão seco logo absorveu.
Queria ser imune à dor.
Sua cabeça, porém,
já mergulhada no passado,
trouxe à tona uma vida inteira:
– momentos que tornavam insuportável
o brusco desapego.
Haveria, então, que sofrer
outra vez mais.
Foi assim que, atônita,...
em pé, no alpendre,
querendo parecer viva por fora
– por dentro já estando morta –
ouviu se esvaírem na distância
os passos do derradeiro filho
a ir embora.
.
.
.

6 comentários:

  1. É sempre dolorido quando alguém que amamos muito se vai...
    Seja em qualquer circunstância.
    Que Deus me livre, de uma saudade assim. Seria morrer por dentro mesmo.

    É um lindo e emocionante poema querido. Parabéns! Beijusssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. Opa...
    começando a viajar pelas suas poesias.
    Desde já,encantada ;)

    ResponderExcluir
  3. Arlete Castro13:04:00

    Lindo, como tudo que você escreve. Um abraço querido amigo poeta.

    ResponderExcluir
  4. Lindooooooooooo...

    Vc n escreve me inglês?

    Estava procurando algo assim pra publicar no meu site. afinal nem tudo pode se resumir ao negócio.

    pode conferir aki. por favor me avise se tiver interesse. Obrigado

    ResponderExcluir
  5. o seu poema e muito
    bom
    bom
    bom
    bom
    bom
    bom
    bom
    ...

    http://www.mundosubliminar.xpg.com.br
    http://www.solendasurbanas.xpg.com.br

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela leitura, comentários e generosa apreciação.

    Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam todos sempre muito bem vindos

    Grande abraço!

    ResponderExcluir