Google+ GRITOS VERTICAIS: Os Olhos do Mendigo

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Os Olhos do Mendigo


(Home and the Homeless – Thomas Faed)
.
.
.
OS OLHOS DO MENDIGO
(André L. Soares)
.
Os olhos do mendigo me impressionaram,
como se me cobrassem melhor atitude,
como se questionassem minha virtude
e duvidassem de mim.
.
E os olhos do mendigo me amedrontaram,
como fossem cobras saídas de mim mesmo
e eu me senti um monstro de puro egoísmo
e tive vergonha de me ver assim.
.
Mas os olhos do mendigo me condenaram,
como se fossem aqueles os olhos de deus,
como se todos os pecados do mundo
fossem somente meus.
.
Então os olhos do mendigo me fitaram seriamente,
como se indagassem os olhos de um covarde;...
imediatamente compreendi sua mensagem
é que talvez eu não faça a minha parte.
.
.
.

4 comentários:

  1. Oi André, muito bom.

    Dê uma olhada neste:

    http://hebdomadario.com/2007/10/28/o-menino-de-rua/

    Abraços,

    Declev

    ResponderExcluir
  2. Interessante...
    Eu me comovo sempre que vejo um mendigo, ou criança no farol.
    Talvez, por ter essa mesma sensação descrita no post.
    Não consigo ignorá-los, por mais que eu tente.
    Acabo me rendendo aos olhares, ora carentes, ora agressivos.
    Não sabia explicar, até então, o que sentia.
    Mas,seu texto define tudo.

    Amei a sua sensibilidade.
    Beijokinhas
    (vassourando)

    ResponderExcluir
  3. Não consigo ler esse poema e não visualizar o que vejo pelas ruas quando passo sabe.
    Os olhos deles me impressionam sempre.
    Esses versos são tocantes. Parabéns, querido! Beijussssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir