Google+ GRITOS VERTICAIS: Onde Não Há Natal

sábado, 3 de novembro de 2007

Onde Não Há Natal


(En Afrique – Jaques Beaumont)
.
.
.

ONDE NÃO HÁ NATAL
(André L. Soares)
.
Há, no ar... a nota triste
da viola caipira que lamenta,
chorando, tal chuva de primavera,
como se ser feliz fosse loucura.
.
Há, no céu... o traço fosco,
riscando o azul com cor cinzenta,
resquício da antiga maravilha
da estrela que há muito se apagara.
.
Há, no chão... só a esperança
da rosa novamente orvalhada,
fazendo rir a criança que agoniza
no retorno da pureza que se fora.
.
.
.

6 comentários:

  1. Olá...muito lindo!!! Bom...pelo menos ainda ha esperanças...beijin hos!

    ResponderExcluir
  2. Eu pretendia apenas dar uma passadinha rápida... mas seus poemas são tão lindos. Não podia deixar de dizer-lhe: obrigado por compartilhar!

    Carpe diem!!
    Pierre

    ResponderExcluir
  3. Oi André!
    Gostaria de registrar o quanto você me enriquece todos os dias.
    A tua sensibilidade emana das sua palavras e contagia.
    Obrigada por esse presente, que é o seu blog.

    Beijokinhas
    (vassourando)

    ResponderExcluir
  4. Há dentro de nós um grito inconsciente de viver como qualquer pessoa, sem restrições e abandono. Não ser mais um excluído e viver plenamente feliz.

    Beijos cirandeiros.

    ResponderExcluir
  5. belíssimo verso:
    .
    Como se ser feliz fosse loucura...

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir