Google+ GRITOS VERTICAIS: Sem Chão

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Sem Chão


(Singing Fish – Joan Miró)
.
.
.
SEM CHÃO
(André L. Soares)
.
Aquela coisa velha é
tábua,
paredes feias da
casa,
suja e repleta de
água,...
palafita fincada
sem chão.
.
Ali vive gente sem
nada,
bebendo e comendo onde
caga,
sonhando com uma cova
rasa...
– Inferno é essa vida
de cão!
.
.
.

6 comentários:

  1. http://brevespacio-sugiero.blogspot.com/

    se ha publicado aqui su blog gracias por visitar nuestra página, espero la disfrute al igual que disfrutaremos la suya.

    Saludos desde El Salvador

    Seu Blog foi publicado, muito obrigado por visitar nossa página. Espero que goste de nossa página da mesma forma que gostamos da sua.

    ResponderExcluir
  2. Duro e muito bom. Excelente escolha de Miró. :)

    ResponderExcluir
  3. É uma tristeza ver como tanta gente nesse mundo ainda vive em condição sub-humana, né?

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. "inferno, é essa vida de cão".
    Sem dúvida. Poema conciso, mas inteiro.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Esse poema é demais André.
    Adoro quando tem essas inspirações
    Ao ler, tenho a impressão de visualizar o que te levou a escrever com tal intensidade.
    Gosto muito de poemas assim e adoro esse. É perfeito!

    Beijussssssssssssssss querido.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir