Google+ GRITOS VERTICAIS: Mito

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Mito


(Island Palm I Ron Jenkins)
.
.

.
MITO
(André L. Soares)
.
Não Te vejo
mas, quase Te sinto
à beira do precipício…
e se Te nego
– tempo em que me precipito –,
não reconheço Tua verdade,
mas me amparo no abstrato
e busco forças
no Teu mito.
.
.
.

4 comentários:

  1. Nossa!
    Esse poema é Divino querido.
    Bom demais poder ler ele aqui também.
    Lembro o quanto me impressionou quando o li pela primeira vez.
    São de uma beleza e profundidade esses versos... Perfeito!

    Essa foi mais uma daquelas suas inspirações maravilhosas André.

    Amei a postagem de hoje viu poeta.

    Beijussssssssssssss

    ResponderExcluir
  2. O que vc escreveu me tocou fundo... é esta pessoa que naum se sabe, mas que se faz presente o tempo todo... pela sua ausencia...
    Beijos Mila

    ResponderExcluir
  3. Parabens, um poema de fazer arrepiar a alma de tanta emocao contida, sendo sobretudo, o texto tao curto. Gostei mesmo muito!!
    Abracos!

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir