Google+ GRITOS VERTICAIS: Famintos

sábado, 29 de setembro de 2007

Famintos


(Romance in Red II – Alfred Gockel)
.
.
.
FAMINTOS
(André L. Soares)
.
Teu corpo esguio, pele fina,
subindo e descendo sobre mim,...
dava-me os sons do cio,
tatuados nos espasmos,
da felina que dançava no carmim.
.
Agarrei-me à cabeleira,...
a cabeça à cabeceira recostada,
muitos gestos e eu te olhava
sem perder algo que fosse.
Tanto suor,... em quarto tão pequeno,
quanto mais se encolhia o tempo,
mais tu me querias dentro...
o ar impregnando-se de amor.
.
Desejos de almas puras,
refletidos na musculatura,...
teus olhos gritavam... mudos,
dando asas à imaginação.
.
Línguas violando ouvidos,
canções rugidas da libido,
nossos sexos se contraíam,
eu saía e entrava em ti
no ritmo dos corações.
.
Enfim, o gozo ecoa...
para amantes satisfeitos,
tudo assim... simples e lindo,...
dócil lobo, concedo o peito
ao descanso da leoa.
.
.
.

4 comentários:

  1. O amor, a paixão, o tesão... Indissociáveis aos viventes. Quando penso que já se disse tudo, basta vir aqui no seu espaço e ver, que muito ainda há por dizer.
    Nada como cantar os sentimentos.
    ;)

    ResponderExcluir
  2. Ah! Dócil poeta,... esse poema é profundamente belo.
    No ritmo sensual dos versos, na docilidade das palavras, descrevestes perfumes, cores, brilhos e magia... Toda a poesia do amor com perfeição.
    Parabéns por essa mais bela postagem.
    Degustei as palavras desse seu poema que é lindo, lindo, lindo...e no meu silêncio, viajei na imagem

    Beijusssssssssssssssssssssssssss querido poeta.

    Tenha um lindo Domingo.

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir