Google+ GRITOS VERTICAIS: Alma de Poesia

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Alma de Poesia


(Island Woman II Migdalia Arellano)
.
.
.

ALMA DE POESIA
(André L. Soares)
.
Vem até mim, essa mulher dos olhos dóceis,
zelar-me o ego, com carinho... que é sua força
própria de quem nunca perdera o jeito moça
mesmo que a vida tão sofrida, assim lhe fosse.

Belos cabelos, cujo vento em vão contorce
camuflam a aura, pura e frágil como a louça...
esperançosa por reunir a paz que possa
e a liberdade, que jamais lhe foi precoce.

Por sua palavra até a tristeza ganha graça
sem haver tempo em que sua luz me seja escassa
principalmente, quando diante de sua face...

sou arrebatado de uma nudez que me devasse,...
canção de amor lançada aos céus,... e o vento trouxe
e que em minh’alma fez morada e tomou posse.
.
.
.

4 comentários:

  1. Bela inspiração!
    Beijinhosss

    ResponderExcluir
  2. Aiiii André, ... que beleza essa postagem de hoje.
    Esse Soneto é maravilhoso meu querido.

    Nossa! Amei de paixão ler esses versos.
    É total emoção ao ler sabe. (Lábios brilhando e olhos sorrindo...). ;)

    E a foto? Nossa! Você é puro talento e bom gosto. Amei tudo viu.

    Poeta,...seu blog, sua belíssima poesia...são mesmo um balsamo pra alma viu.
    Obrigada!
    Beijussssssssssss poeta querido. ;)

    ResponderExcluir
  3. Belo canto de paixão.
    ;-)

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde.

    Agradeço a todos pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem presigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir