Google+ GRITOS VERTICAIS: Imprescindível

sábado, 11 de agosto de 2007

Imprescindível


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
IMPRESCINDÍVEL
(André L. Soares)
.
O dia nasceu maravilhoso...
tudo com jeito de novo,
voltando às boas, de repente.
No céu azul há um sol quente,
sorrindo raios de luz
para inspirar o meu desejo.
Eis que vislumbro sua imagem
cada vez mais próxima,
quase que posso tocá-la...
isso aquece e traz calma
ao meu espírito indócil.

Por entre carros e pessoas
caminho como quem sai da prisão
e olha o mundo, anos depois.
Parece que passou a eternidade
entre o momento de hoje
e a última vez que fui feliz.
Por isso inalo cada cheiro de folha,
todos os sopros de vida...
– pode haver ali, um pouco de você –
Não tenho fome, mas me alimento
do meu amor imensurável.

Procuro novas palavras
talvez, em outras dimensões
para explicar o que sinto
e como vivo essa paixão...
escuto frases,... arisco
e me arrisco numa canção
para falar do meu amor,
de modo repetitivo...

...até você compreender
que me é imprescindível...
...até você compreender
que me é imprescindível...
...até você compreender
que me é imprescindível!
.
.
.

12 comentários:

  1. É imprescindível amar e continuar amando sempre.

    Beijos de aventura.

    ResponderExcluir
  2. Estamos, ambos, à procura da palavra, caro amigo poeta... e ela está logo ali, ao alcance de nossa pena: basta-nos um só gesto,um aceno, um só olhar.
    Mas como já disseram "um poema é um poema..." e seja mais novo ou mais antigo sempre o será... imprescindível, como este seu, de bela construção.
    Ainda em compasso de espera, desejo-lhe um feliz final de semana.
    Bjs,
    Giulia

    ResponderExcluir
  3. Imprescindível também é vir aqui só pra ler esses poemas lindo!
    Sabe que só de olhar a foto no alto, eu já me sinto bem?
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Isso mesmo poeta,... procure palavras, arrisque todas as canções... a poesia de todos os segundos, pois é assim que se ama.
    E sabe, quando a gente ama, nada, nada mesmo se torna repetitivo.
    "Imprescindível", é maravilhoso.

    Nem ligo de ser repetitiva em elogiar. Maravilhoso! ;)

    Beijusssssssssssssss

    ResponderExcluir
  5. Fala, André!

    Cara... tu já pensou em botar acordes em suas poesias?

    Ia ficar legal, hein?

    Pensa nisso...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Imprescindível...

    tanto de tão pouco...que nos é dado!

    Mas mesmo esse quase nada...é imprescindível!!!

    BOM DOMINGO!
    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Eita, poeta...estás ficando imprescindível nas minha leituras matinais.
    Seu blog é poeticamente necessário!

    blogabraços!

    ResponderExcluir
  8. Imprescindível é ler-te!!!!!!
    Beijuca

    ResponderExcluir
  9. André,
    adorei seu poema. Muito bonito! E as ilustrações vão muito bem com seus poemas. Não conhecia esta pintora mas gostei muito!
    Beijos.
    Até à próxima
    Ana

    ResponderExcluir
  10. Então, além dos poemas de cunho social, você também é bom em poemas românticos. Mais uma vez, parabéns.

    ResponderExcluir
  11. Bom dia

    Agradeço a todos, pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  12. "Parece que passou a eternidade
    entre o momento de hoje
    e a última vez que fui feliz.
    Por isso inalo cada cheiro de folha,
    todos os sopros de vida...
    – pode haver ali, um pouco de você"
    Emocionante!
    Ela há de entender sim "...até você compreender
    que me é imprescindível..."
    Muito lindo. Adorei.
    Um abraço
    Uma noite feliz.

    ResponderExcluir