Google+ GRITOS VERTICAIS: Inteira

sábado, 7 de julho de 2007

Inteira


(Foto: André L. Soares)
.
.
.
INTEIRA
(André L. Soares)
.
Perdoa,...
por ser falso
ante toda tua verdade;
quase alheio
à tua doce presença;
por ser o teu exclusivo,
tu que nunca és minha primeira.
Perdoa,...
por sempre voltar aos cacos,
a ti,...
que somente vens inteira.
.
.
.

11 comentários:

  1. Marilia Coutinho11:23:00

    Olá Andre,
    Entrei no seu blog para tentar enviar um e-mail e dei com esse poema que me deixou... mmm... pensativa. O grande barato do artista a a universalização da experiência individual, não é mesmo? Ouvi uma história do Renato Russo sendo parado no aeroporto por um fã indignado, que lhe dizia qu ele não tinha direito de ter feito uma letra com sua história privada.
    Bem, seu poema universaliza váááárias das minhas vivências individuais, gostei de ler, lerei mais.
    Como vc não me deixou um email, deixo o meu: marilia-coutinho@uol.com.br.
    Keep in touch.
    (add no blogsblog e technorati - não tenho ainda muita familiaridade com esses recursos e nem feed meus blogs têm).

    ResponderExcluir
  2. André, obrigada, também gostei muito do teu blog, e não sei se é só a poesia ou esse mar que deixam a gente tão leve e querendo entrar na tela. Então, certamente estarás nos meus links. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Oi, André! Obrigada por visitar meu blog! Adorei seu comentário. Também gostei muito das suas poesias, essa primeira é de uma sensibilidade incrível. Você escreve muito bem, parabéns! :)

    Já estou adicionando você no BlogBlogs. Espero que a gente continue a manter contato e que você continue visitando meu blog!

    Parabéns pelo blog e as lindas poesias!

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. André, me encantei logo de cara com seu trabalho. vc sabe como são os blogs né? sempre aquela "mesmice". Aqui é diferente: o espaço é aconchegante, as palavras são bem colocadas! maravilha! Já está no meu favoritos. Agradeço pela visita no BioBlog. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Esse Poema é delicioso de se ler.
    E o que eu acho incrível nele é que embora os versos sejam leves, suaves, as palavras não perdem a força. Eu adoro esse poema! Beijussssssssss meu querido.

    ResponderExcluir
  6. Amar deveria ser nunca ter que pedir perdão, né? Pq cada um ama a seu jeito... até aos cacos!
    Belo! Muito!
    Beijão

    ResponderExcluir
  7. Que maravilha!!!
    Adorei, tanto as imagens como as palavras...
    "Inteira" me matou!
    É claro que te edicionarei, é um prazer!!!

    ResponderExcluir
  8. Ae caro André, se puder atualizar meu link no teu site.. desculpa o incômodo mas é só mudar de wordpress pra blogspot, valeu irmão..

    ResponderExcluir
  9. poucas palavras, quanto significado!

    Acabei de ler com o olhar perdido.

    ResponderExcluir
  10. Perfeito...
    Adorei!!!

    Beijos

    Carolives

    ResponderExcluir
  11. Bom dia

    Agradeço a todos, pela visita, leitura e comentários. Espero que continuem prestigiando os 'Gritos Verticais'.

    Muito obrigado.
    Sejam sempre muito bem vindos.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir